@Leitores_em_quarentena: Teoria do Medalhão (Machado de Assis)

“- Estás com sono?

– Não, senhor.

– Nem eu; conversemos um pouco. Abre a janela. Que horas são?

– Onze.

– Saiu o último conviva do nosso modesto jantar. Com que, meu peralta, chegaste aos teus vinte e um

O homem da multidão (Edgar Allan Poe)

Edgar Allan Poe me fascina e inspira pela brevidade, unidade e intensidade de sua obra. Seus contos são criados para um efeito e, como soldados, todos os detalhes marcham em direção ao espanto. E como tive pesadelos com seus vários …