EM ESTIBORDO – parte um

Sua primeira lembrança, também a última, era das paredes brancas encharcadas de livros. Eles não eram posicionados estruturalmente, em estantes ou prateleiras, como em qualquer biblioteca que se prese. Eram apenas livros, confusos, deixados. A maioria ficava em pilhas, como se alguém tivesse racionalizado o seu estar. Mas não tinha ninguém. Qualquer organização era obra do acaso, como se as …

O QUINTO – última parte

A entrada do motel Magnífico, um edifício histórico na parte baixa do centro de Belo Horizonte, escondia um dos maiores núcleos de prostituição da região. A viatura parou bem em sua entrada, na contramão, com giroflex ligado, fazendo com que dois homens que estavam na esquina, do outro lado da rua, se afastassem de cabeça baixa. Luiz entrou por uma …